Indicação de leitura – Coleção percepções da diferença – Negros e brancos na escola

Coleção Percepções da Diferença: Negros e brancos na escola.

Download gratuito em: http://www.usp.br/neinb/?q=node/9


Leitura recomendada para aqueles que, assim como eu, passaram por uma escola marcadamente discriminatória, que pouco ou nada valorizou a cultura africana. Para piorar ainda mais, distorceram nossa visão do continente Africano, retirando deles as culturas reconhecidamente mais sofisticadas, como a Egípcia, denominada pelos Europeus como “Cultura Mediterrânea”.
Você sabe alguma coisa sobre os grandes Reinos Ghana (700-1200), Mali (1250-1500) , Songhai (XIII – XVI), Congo (1100-1500) ? E sobre a filosofia Bantu?
Nunca é tarde para corrigirmos um erro histórico!

Anúncios

Lançamento do Meme – o miniblog do Yahoo

yahoomeme-20090514163853

Não costumo postar nada com este teor, mas no caso do meme, preciso abrir uma exceção. Em primeiro lugar, meu marido (DSouza) participou da concepção e desenvolvimento da ferramenta, que é 100% brasileira. Foi criado um grupo de inovação, que foi responsável por TUDO no projeto, da concepção do produto, do layout, das funcionalidades…

O que isso tem de interessante? Bom, especialmente para eles, foi uma experiência ímpar. Não receberam encomenda de ninguém, nem ficaram submetidos à área de marketing. São os desenvolvedores e usuários de internet pensando em um produto que agradesse o público brasileiro.

Para nós, além de ser uma ferramenta super bem desenvolvida, com uma interface clean (veja que não tem banner de propaganda), ela foi feita para o brasileiro. Tanto que os “gringos” estão tendo que se virar no português para usá-la., pois ela ainda não foi traduzida. Quer coisa mais legal que isso ?

Ontem (14.05) foi um dia eufórico para o time desenvolvedor. A quantidade de notícias sobre o produto que saíram na imprensa foi impressionante. Dá para ter uma noção do poder da internet e de como as pessoas são influenciadas por ela. O número de usuários pulou de 100 para 600 em apenas 24 horas. E claro, a imprensa não podia deixar de falar bobagens, como “é um clone do twitter”, “só é possível postar 140 caracteres”… e por aí vai.

Mas tivemos uma excelente notícia no info abril, feita por Bruno Ferrari. Clique aqui para ler.

Ah, e uma fofoca: o designer gráfico do produto hoje trabalha no twitter! Veja a entrevista dele aqui.

Desejo muito sucesso aos meninos do Yahoo! e ao Meme, que é tudo de bom!

Julci Rocha

Fique ligado: o controle da Internet está sendo discutido!

Coloco aqui alguns links que se referem às discussões do projeto de lei do Senador Eduardo Azeredo, que diz respeito à cibercrimes.

1) Entrevista com Azeredo

2) Mais uma entrevista com o Azeredo

3) Blog do Sociólogo Sergio Amadeu

4) Especialistas comentam a lei do Azeredo

Esta é uma das discussões mais importantes da atualidade pois traz à tona subtemas como privacidade, propriedade, liberdade de expressão, identidade e outros. Informe-se e se manifeste, seja contra ou a favor, seja a favor em partes… mas não deixe de se manifestar.

Me manifesto aqui: A internet rompe com diversos paradigmas do mundo físico, material. Querer impor regras deste “mundo” para o mundo digital é uma forma de demarcar território, de garantir a primazia.

Tire você mesmo suas próprias conclusões. Pesquise, leia, questione.

JRocha

A realidade da escola no interior de Goiás

Essa reportagem do fantástico, feita por ninguém menos que Marcelo Canellas, é fundamental para entendermos definitivamente que São Paulo não é Brasil.

O premiado jornalista apresenta a triste realidade de uma escola na zona rural de Goiás e o esforço das pessoas que lá vivem para garantir que a merenda, tão importante para esta escola quanto o papel e caneta, chegue até as crianças.

Muitas destas crianças caminham uma hora e meia para chegar até a escola, sem nada no estômago. A primeira refeição do dia será a merenda.

Uma das entrevistadas nos deixa uma sábia mensagem ao se referir ao papel do Estado diante desta realidade: “O Estado somos nós: sou eu, os professores, acho que são todos os funcionários que se responsabilizam e que arcam com suas funções. É cada um fazendo a sua parte para que isso aconteça”, define.”

O jornalista termina a reportagem com uma frase primorosa: “Uma funcionária idealista, uma professora sonhadora, um tropeiro brincalhão. Ao amparar as crianças pobres dos grotões de Goiás, os professores de Cavalcante e a tropa do Zé Merenda estão redimindo o Brasil.”

Vale a pena assistir. Clique aqui e acesse o link do site

Para saber um pouco mais sobre Marcelo Canellas, clique aqui

A importância do Designer Instrucional na Educação à Distância (Ead)

Nos últimos anos, acompanhamos um crescimento da oferta de cursos à distância, sejam por instituições formais de ensino (como as Universidades), ou informais, como a educação corporativa ou cursos livres.

Nesse grande universo da EaD, encontramos uma diversidade de formatos de cursos. Um grande número de profissionais fica nos bastidores desta grande engrenagem, tais como o web designer, o gerente de vendas, o especialista em conteúdo, o administrador do ambiente de aprendizagem… mas quem cuida dos aspectos educacionais da EaD? Diferente da educação presencial, não se trata do pedagogo, mas do Designer Instrucional. Este profissional é responsável pelas soluções educacionais nos cursos à distância, caracterizando o conteúdo e a proposta como educativa, ou seja, com o propósito de ensinar.

Mas por que é necessário um profissional específico, uma vez que na educação presencial, há tantos anos, esta é uma responsabilidade do pedagogo? Exatamente pelas especificidades inerentes à educação à distância. Ela possui uma linguagem própria, um formato específico, além de exigir do profissional conhecimentos em diferentes mídias, não usuais na educação presencial. Por esta razão é que o Designer Instrucional precisa de uma formação especializada, além dos conhecimentos pedagógicos. Atualmente já existem cursos de pós-graduação Lato Sensu voltados especialmente para a qualificação técnica e acadêmica destes profissionais.

E o que você, aluno de cursos à distância, ganha com isso? Muito! O Designer instrucional vai garantir que um “apanhado de informações” tenha uma intencionalidade educacional, relacionando diversas variáveis: público-alvo, objetivos do curso, atividades práticas, avaliação da aprendizagem, particularidades do conteúdo etc.

Portanto, ao procurar uma instituição que ofereça cursos à distância, não deixe de perguntar quem é o Designer Instrucional!

No próximo artigo, vamos te dar algumas dicas de como escolher um curso à distância com mais segurança.

Até lá 🙂

Julciane Castro da Rocha

Designer Instrucional, Professora e Mestranda em Educação.


Este texto foi originalmente escrito para os clientes da 4Linux, empresa que oferece cursos à distância na área de tecnologia

Essa foi demais – a máquina de lavar e as mulheres na visão do Vaticano

Quando eu ouvi essa asneira, fiquei abismada. Como, em pleno século XXI, temos que ouvir essas coisas, vindo de uma instituição que, por si só, já é alvo de críticas.

O artigo do jornal do Vaticano, na comemoração do dia da mulher, releva que a grande invenção para a nossa libertação foi a máquina de lavar, e não a pílula contraceptiva. O famigerado texto [pasmem] foi escrito por uma pessoa do sexo feminino [pois não posso chamar essa cidadã de mulher].

Vejam a notícia

Agora, nós mulheres temos tempo para tomar um capuccino com as amigas, enquanto a máquina trabalha por nós.

Em primeiro lugar, quem disse que a responsabilidade de lavar roupas é exclusiva das mulheres? Por que a invenção beneficiaria somente a nós?

Segundo, que comparação absurda entre um medicamento e um eletrodoméstico

Terceiro, quem permitiu a entrada da mulher no mercado de trabalho (entre outras coisas), não foi o balde de roupas sujas vazio, mas a possibilidade de planejar sua vida. E esse planejamento passa pela maternidade.

Agora, se a máquina de lavar é tão importante assim, o que podemos dizer do ferro de passar roupas, do fogão elétrico, do aspirador de pó e do espremedor de batatas!

Esse texto é uma ofensa e um desserviço à toda a luta das mulheres pela superação do estigma de dona-de-casa.

Julci Rocha

Pensamento…

Sinto que está cada vez mais difícil sentir-se feliz neste mundo. Quando olhamos para o passado e vemos que as injustiças se perpetuam, que a humanidade se deixa levar pelos seus próprios interesses… enfim… sinto-me tão impotente. Mas não incapaz. Por isso, continuo buscando entender como a sociedade se organiza, suas fragilidades e a raiz do problema. A partir daí, sinto-me na obrigação de multiplicar este conhecimento. Aí tudo se torna fascinante pois não simplesmente ensino, mas também aprendo. Essa troca é mágica e faz sentir-me VIVA!

No entanto, é preciso ir além. É preciso ser exemplo.

É bem difícil fazer a coisa certa, mas não temos outra escolha. E, mesmo quando não acertamos, precisamos desconsertar e refazer. Ficam marcas, é verdade, mas isso não me isenta do arrependimento verdadeiro. Por esta razão, a humildade e a auto-reflexão precisam fazer parte da minha vida.

A VERDADE é o que me move e o que me torna um ser humano.